segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

[Retrospectiva 2012]

Primeiramente, um Feliz Natal super atrasado para todos vocês, leitores - sejam aqueles que aparecem apenas para um visita única ou aqueles que acompanharam a trajetória d'O Apanhador por todo esse ano de 2012.O ano em que eu finalmente tomei coragem para colocar "esse" projeto em prática. Caramba, eu ainda custo a acreditar que O Apanhador já possui mais de 80 Posts e quase 450 seguidores. Isso é incrível!  Muita coisa aconteceu esse ano e, como previ, conheci muitas pessoas nesse trajeto de blogueiro que eu comecei a traçar. Pessoas que me ajudaram muito e que me incetivaram ainda mais a continuar postando por aqui. Espero que possamos continuar tendo esses momentos maravilhosos em 2013. Muito obrigado a todos vocês que fizeram esse ano de 2012 muito especial. Fiquem agora com a retrospectiva do que aconteceu no ano>>>

[O Começo]
Lembro como se fosse ontem (sim, amo clichês), sempre imaginei que não teria a menor ideia do que escrever em um post de apresentação; acabei escrevendo tanto que fiquei até impressionado.

[A primeira ninguém nunca esquece]
Ah, como eu matutei para saber qual livro seria aquele que abriria a minha coluna principal do blog: a de resenhas! Acabou sendo em uma volta para casa, depois de horas no cursinho que um livro me veio a mente - A Farsa. Um livro que não seria a primeira escolha de muitos, mas tantas coisas interessantes surgiram na minha mente naquele momento que não tive dúvidas - "Que seja A Farsa, então."

[Mais de 20 resenhas...e contando!]
Confira algumas das resenhas que fizeram sucesso e história aqui no blog!



[Autores amigos]
Uma das coisas que mais marcou a minha experiência no blog foi o fato de poder conhecer um pouco mais daqueles que escrevem essas histórias que todos nós tanto adoramos. Ler a obra desses autores que acreditaram no blog (e no blogueiro que vos fala) foi fantástico. Obrigado pela confiança!


[Notícias e mais notícias]
Leitura Dinâmica, Uma das colunas mais constantes e com mais edições d'O Apanhador trouxe diversas notícias interessantes ao decorrer do ano sobre o mundo literário nas telas do cinema e da televisão.

[Músicas & Livros]
Muitos devem saber que um dos meus passatempos literários preferidos é dar vida a algumas cenas que imagino através da música. Compartilhei meus gostos e minha opções com vocês; e me diverti vendo a reação de vocês e também as opiniões que recebia. Apesar de ser uma coluna um pouco volúvel (utilizando nomes como "Trilha Literária", "Soundtape" e aparecendo em diversas resenhas) o retorno foi bem positivo.

[O ano dos Shows]
2012 foi o ano que pude ver a poucos metros de distancia 2 bandas que jamais imaginaria poder ver de tão perto. Marron 5 e Snow Patrol, duas das minhas bandas favoritas tiveram como destino o Brasil esse ano e tive a felicidade de ouvir músicas que fazem parte do meu cotidiano ao vivo.

[Cinéfilo de carteirinha]
Essa minha característica é constante reafirmada através das duzias de opiniões de atores e atrizes que escalo para interpretar uma adaptação imaginária de um livro interessante ou, quem sabe, através das notícias do LD. A verdade é que muitos filmes interessantes foram lançados esse ano e foi n'O Apanhador que deixei minha impressões sobre eles


[Um olhar mais amplo]
Além de trazer notícias sobre o mundo literário, cinematográfico e musical; e também do fato de opinar sobre ele, eu sempre quis trazer um pouco mais de originalidade para o blog. Discutir sobre assuntos que fogem um pouco do cotidiano da blogosfera literária através de algumas dicas um tanto quanto diferentes.


[Ressaca de seriados]
Outra coluna que marcou presença aqui no Blog foi a SA - Seriadores Anônimos - onde deixei minha opinião sobre os episódios semanais de algumas séries que acompanho. Além disso, também foi um ano que pude apresentar algum dos meus gostos a outros amantes dos tão adorados e odiados seriados.



[Primeira Parceria]
Foi nesse de 2012 também que conquistei a primeira parceria com uma editora - Arqueiro e Sextante. Só nós blogueiros sabemos como é suado conseguir uma parceria no nível editorial (muitos processos seletivos, alguns -muitos- emails encaminhados às editoras, etc). É sofrido. entretanto, a Arqueiro e a Sextante foram tão amigáveis e atenciosos desde o meu primeiro contato que até mesmo cheguei a ficar impressionado. A consideração com que você é tratado é maravilhosa e a agilidade da editora certamente invejada por várias. Obrigado por também fazerem parte do grupo que acreditou nesse meu projeto!

[De Cara Nova]
O AdH entrará em 2013 com uma nova roupagem. Com a antiga e primeira versão completando 7 meses no ar, O Apanhador sofre uma repaginada e serão vocês, leitores, que decidirão se será ela que representará o blog daqui pra frente. Basta votar na enquete na coluna ao lado!

[Parceiros]
Para encerrar: Não daria pra esquecer daqueles que foram um dos principais motivos d'O Apanhador ter conseguido conquistar leitores e seguidores. Para aqueles que acompanham o blog, sugiro que dê uma passada na "casa" desses blogueiros - vocês certamente encontraram muitas informações de qualidade. Confiram aqueles que apoiaram e ajudaram no crescimento d'O Apanhador!


[Um novo começo?]
Amanhã viramos o ano, nos despediremos de 2012 para que mais um ano possa nos surpreender. Desejo a todos um ótimo fim de ano e um feliz "recomeço". Para aqueles que acreditaram, acreditam e ainda continuarão a acreditar n'O Apanhador, meu mais sincero Obrigado! Espero que ano que vem, nesse mesmo dia, possa estar adicionando mais conquistas e felicidades a esta lista que vocês acabaram de conferir. Feliz 2013!

Um Grande abraço,
Lucas.

sábado, 29 de dezembro de 2012

[Leitura Dinâmica #14] Distopias, títulos desnecessários e decepções

Chegamos à última coluna do ano! Depois de um ano com muitas boas e más notícias, a edição de fim de ano chega um pouco mais extensa do que o normal; afinal, ela tem que ser especial, não é mesmo? Essa semana no LD: Sucesso juvenil publicado pela novo conceito começa a ganhar chances de ser adaptado; Todo mundo em Pânico 5 divulga seu trailer miado; Warm Bodies tem 4 minutos divulgados; além disso, temos novas noticias de adaptações distópicas; Poe é novamente foco de Holywood; começa a procura pelo protagonista de Guardiões da galáxia e J.K. Rowling acha uma "casa" para Morte Súbita. Confiram!>>>

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

[Resenha #24] Jogada Mortal, de Harlan Coben

Myron Bolitar está de volta em um novo mistério. Com um humor muito mais ácido e com o dobro de ameaças à sua vida; o detetive das causas perdidas e esportivas encontra um novo mistério a ser resolvido após o assassinato de uma renomada, porém já há muito decadente, tenista. Harlan Coben volta muito mais afiado nesse segundo volume das aventuras de Bolitar, mostrando que humor e mistério podem sim caminharem juntos.


Depois de ver sua carreira no basquete profissional chegar ao fim antes mesmo de começar, Myron Bolitar trabalhou para o FBI, formou-se em direito em Harvard e hoje está à frente de uma agência de representações esportivas, que toca com a ajuda da grande amiga Esperanza. Tudo parece ir bem até que Valerie Simpson, uma tenista que já foi a maior promessa do esporte, é morta durante um jogo do Aberto dos Estados Unidos. Ao que tudo indica, a jovem estava lá em busca de Myron, mas foi encontrada antes pelo assassino. Myron não imagina por que Valerie foi atrás dele, mas se sente culpado por não tê-la encontrado a tempo. Para piorar, seu cliente mais importante, o tenista Duane Richwood, se torna o principal suspeito do crime. Em busca da verdade, Myron descobre que a jovem vinha sendo assediada por um fã obcecado desde o início da carreira. Além disso, seis anos antes, ela estava prestes a ficar noiva do filho de um senador quando o rapaz foi morto sob estranhas circunstâncias. Enquanto tenta desvendar o assassinato da tenista, Myron se tornará um obstáculo para os interesses da máfia, de um político poderoso e de uma família influente. Agora ele e as pessoas que mais ama podem ser as próximas vítimas.

sábado, 22 de dezembro de 2012

[Resenha #23] Um Grito de Amor do Centro do Mundo, de Kyoichi Katayama

Quem nunca ouviu o conselho para se aproveitar a vida ao máximo enquanto se pode, pois, quando menos se esperar, tudo poderá ter chegado ao fim? Nós humanos somos feitos para negar a consciência da morte - ficaríamos loucos se o nosso cérebro não desse algum jeito de omitir esse fato de nossa percepção. Em um minuto, tudo pode estar bem; em outro, tudo poderá estar desmoronando. Kyoichi Katayama confere ao casal desafortunado de sua obra a difícil tarefa de mostrar ao leitor que a morte é um realidade derradeira, mas passível de reflexão e compreensão. Conheça a difícil trajetória de Aki e Sakutarô em "Um grito de amor do centro do mundo".



Sakutarô é ainda um garoto quando conhece Aki na escola em que estuda, numa cidadezinha japonesa. Ela é bela, inteligente e popular, e logo se tornam amigos inseparáveis. Mas, conforme Sakutarô amadurece, ele começa a ver em Aki mais do que apenas uma amiga. Em pouco tempo, sua relação se transforma numa paixão arrebatadora. Os adolescentes trocam juras de amor; prometem nunca mais se separar. Mas uma tragédia fará com que o destino de ambos seja irremediavelmente alterado. Um grito de amor do centro do mundo é um dos romances japoneses mais lidos de todos os tempos. Foi adaptado para o cinema e para uma série de TV, além de ter se tornado um mangá de sucesso no Japão.


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

[Leitura Dinâmica #13] Avós, zumbis e Realities macabros


Bem vindo a mais um Leitura Dinâmica! Depois de uma longa pausa da nossa coluna de notícias semanal, trago a vocês algumas informações sobre as adaptações literárias (e de outras mídias) que logo estarão ganharam vida nos cinemas ou na televisão. Nesse semana: Carl troca zumbis por avó endiabrada em Mercy; é divulgado o terceiro trailer oficial de Sangue Quente; Summit adquire os direitos autoriais de Breed, nova franquia vampiresca. Além disso: preparem-se para a colheita, The Hunger Games é inspiração do reality The Hunt; veja também qual é a nova adição no elenco de Arrow comentada no Seriadores Anônimos dessa semana! Confira: >>>>

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Soundtape #01


Muitos de nós não vivem sem a música; outros, tão pouco sem suas séries, livros e filmes favoritos. Que tal juntar as duas coisas? Nessa coluna do AdH, você experimentará e conhecerá novas músicas de qualidade que, ao invés de acompanhar seus clipes habituais, representarão personagens tão conhecidos dos aficionados por televisão, leitura e cinema. Soundtape é o nome que achei para demonstrar essa fusão de interesses, enquanto experimentamos um ótimo som junto de videos incríveis.Não se esqueça de dizer qual é a melhor combinação; além de deixar dicas de músicas e a forma de entretenimento que você quer ver por aqui. Espero que gostem da novidade. Confiram:

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

[Seriadores Anônimos] Pânico, Vingança e um novo bebê de Rosemary

Os Seriadores Anônimos está retornando em grande estilo! É a primeira edição com as análises de algumas das tão esperadas séries da Fall Season. Além de algumas novidades no design do post, também serão apresentadas as Promos dos episódios seguintes! Nesta edição você encontrará minha impressões sobre as Fall Finales de Grey's Anatomy, Arrow, American Horrow Story: Asylum e Elementary. Confira e não se esqueça de deixar suas opiniões, caso acompanhe alguma delas! >>>

domingo, 16 de dezembro de 2012

[Resenha #22] As Vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky

Algumas pessoas poderiam dizer que o simples ato de se confidenciar com um outro indivíduo é o que se precisa para perder algo muito valioso: privacidade. Entretanto, quando um jovem colegial resolve contar aventuras passadas ao lado de pessoas, inacreditavelmente reais, para um total estranho; bem, percebemos que há muito o que se ganhar com desabafos e confidências; principalmente, notoriedade - a confirmação de que as pessoas se importam com você. Conheçam a vida de Charlie, protagonista da fantástica e verossímil obra de Stephen Chbosky; mergulhem em seu mundo e tentem voltar à superfície sem nenhuma mudança.

Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.