domingo, 16 de setembro de 2012

[Crítica] Abraham Lincoln: O Caçador de Vampiros


Quem disse que vampiros não podem voltar àquela antiga (e já quase esquecida) época em que eles povoavam pesadelos e figuravam como elementos do terror mundial? Sinto muito, Abraham Lincoln aqui não caça lamparinas humanas e sim verdadeiras criaturas abomináveis. Conheça um pouco mais da história secreta do grande presidente norte americano.

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros explora a vida secreta de um dos maiores presidentes dos Estados Unidos em uma história não contada que definiu uma nação. Nancy Lincoln (Robin McLeavy) é a mãe do presidente Abraham Lincoln (Benjamin Walker) e foi assassinada por uma criatura sobrenatural. Incorfomado com o fato, ele declara uma guerra sem piedade contra os seres das trevas e começa a destruir todos os vampiros e os escravos que os ajudam. A história, além disso, procura dar um novo contexto a eventos históricos, como a Guerra Civil.


Eu devo confessar, li a versão de "Orgulho e Preconceito" com zumbis, alguns podem achar isso um sacrilégio máximo, mas por mais non-sense que a obra tenha sido...ela foi, antes de tudo, divertida - este é um elemento importante para nós leitores, não é mesmo? Creio que Seth Grahame-Smith colocou muito disso em sua versão vampiresca do presidente ícone dos norte-americanos. Acredito que sim, pois o filme entrega justamente isso ao espectador. Talvez o plot desse filme já tenha sido uma piada entre amigos algumas décadas atrás depois de verem um filme muito ruim "nossa, o que será do cinema do futuro?" /  "Ah, certamente vão colocar Lincoln cortando cabeças de vampiros". Convenhamos, o enredo, a primeira vista, realmente parece uma piada de mau gosto. Entretanto, se você der uma chance ao longa, verá que o que parecia trash pode ser uma grata surpresa (leve isso para vida, caro gafanhoto). 

O filme tem um ritmo ótimo, a ação mesclada ao terror funcionou de uma forma interessante, bem natural mesmo. Temos muitos cenas habituais de sustos barulhentos, daquele tipo que é mais um reflexo natural você se espantar, pois seu tímpano quase explodiu com o barulho provocado em meio ao que antes era só silêncio, do que propriamente uma cena horripilante. 

A originalidade é incrível, são poucos os filmes atuais que saem um pouco daquele roteiro batido de comédias românticas (menina infeliz que encontra seu amor), de filmes de ação (homem bombado busca vingança) e de suspense (assassino em série a solta galera, corre ae). Abraham Lincoln é visto de uma perspectiva tão inusitada que prende qualquer um àquela história contada na grande tela. Vemos um Lincoln criança, jovem e posteriormente, maduro (no aspecto que conhecemos). Também vemos uma mitologia própria para os vampiros, mas sem tirar a trevas que há neles.

Outro aspecto interessante foi buscar seus atores não no cenário já batido de Hollywood, temos caras novas mostrando que o círculo Hollywodiano poderia ser uma pouco mais amplo. Conhecem Benjamin Walker?Não? Eu também não o conhecia antes de vê-lo interpretando o famoso presidente e, devo dizer, soube atuar de forma tão competente quanto as caras já tão conhecidas por nós.

O filme permeia às raias da fantasia ( e extrapola dela diversas vezes nas cenas de lutas, mas isso é aquele velho exibicionismo dos filmes norte-americanos).Porém, se você sabe pelo menos um pouco da Guerra Cívil americana é possível aprender coisas bem interessantes ali. A forma criativa como Grame-Smith conseguiu explicar certos fatos um tanto borrados da mesma é um show a parte.

Cenas de ação bem construídas, enredo inteligente com uma pitada de História real, atuação competente e originalidade são as características da história não contada do presidente Lincoln. Procura um filme que consegue realmente te entreter no fim de semana? Você pode finalmente achar isso no banho de sangue foi a vida, contada de uma forma um tanto inusitada, de um notório rapaz do Kentucky.  

7 comentários:

  1. Querido Lucas,

    Assim que eu vi que você havia postado uma crítica sobre esse filme eu resolvi vir ler. Eu adoro as coisas que você escreve no seu blog - apesar de as vezes não comentar - e quase sempre concordo com você. A salvo sobre esse filme.

    Pra mim ele definitivamente não foi bom. Claro que eu concordo com você em alguns aspectos sobre a atuação do ator principal, mas quanto ao roteiro. EU ODIEI. Sério. Eu esperava bem mais. E se era para ser um filme cômico sinto muito mas, não vi graça nenhuma. Pra mim o filme se perdeu em sua história, e o que era uma boa ideia se transformou em um redemoinho sem sentido.

    As únicas coisas que eu realmente gostei nesse filme foi o figurino e o cenário, muito bem feitos.

    Espero que não me leve a mal, mas esse é meu singelo ponto de vista.

    Continue com seu belo trabalho em seu blog, e com as postagens de qualidade viu Lucas?

    Beijos
    Djenifer Dias
    Dezesseis não é Criança

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dje, por favor, sempre que quiser poste seus comentários aqui - mesmo que seja discordando! (Afinal, é interessante ver a opinião das outras pessoas também).
      A questão da diversão não foi relativa à comicidade, e sim por ser um filme que entretem - acho que me expressei mal, não é? =/
      Eu sempre dou uma olhada nas suas críticas de filmes também (ainda que também não seja tão recorrente lá nos comentários rss) e acho fantástica as abordagens que você faz. Pra filmes eu sou muito passional, sabe? Eu falo deles como público e não como um crítico imparcial - acho que peco muito nisso x].
      Sobre a relação de amor (que eu tive) e ódio (que você teve) em relação ao filme: acho que isso é uma característica do próprio enredo, vejo pelas críticas que abominam o trabalho do Grhame-Smith em pegar alguns clássicos em remodelá-los de forma non-sense...mas há quem goste (eu o/).

      Obrigado por ter deixado o seu ponto de vista aqui, Dje. Pela falta de pontos negativos na minha crítica, o pessoal também pode fazer um contrabalanço com sua opinião ;]

      Beijos,
      Lucas

      Excluir
  2. Estou completamente apaixonada pelo livro, filme, trailer... Quero muito assistir ao filme, e claro, ler o livro depois. O trailer me deixou tão curiosa quanto ao filme, que não vejo a hora de assistir *-*
    Adorei a resenha! Beijo!
    Stefanie.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Stefanie!
      Bom, não sei se eu estava em um dia maravilhoso para assistir ao filme; a questão é: ele realmente me conquistou também! hahaha
      Recomendo você dar uma passada no cinema então, valeu a pena pra mim ;]

      Beijos,
      Lucas

      Excluir
  3. Desde que vi o trailer eu me interessei pelo filme. Ás vezes assistis filmes trash nos faz bem Rsrsrs' Sem contar que adoro vampiros, lobisomens e coisas sobrenaturais.
    Ainda não tive a oportunidade de ver o filme, mas sua resenha me encorajou mais ainda e me deixou mais curiosa ainda :)

    http://autoracarolinaribeiro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. gostei bastante do que você escreveu, foi bem verdadeiro. quase não assisto a esse filme, pois só lia criticas que dizem que o filme era péssimo, os atores eram péssimos e por ai vai. Por acaso topei com seu blog e li o que você escreveu e fui logo assisti ao filme e não me arrependi, e sem contar que também tem a direção do Tim Burton.
    beijos!

    ResponderExcluir
  5. Parece ótimo!

    Ah, tem sorteio acontecendo no meu blog, se quiser participar e/ou divulgar, está convidada!
    oblogdafenixx.blogspot.com

    ResponderExcluir