sábado, 2 de junho de 2012

[Resenha #03] A Primeira Regra do Mago, de Terry Goodkind


Para aqueles que conhecem as lendas "Tolkien" e "R.R. Martin": Deem uma chance a Goodkind!A Primeira Regra do Mago (Wizard's first Rule) é o inicio de uma serie de 12 (e contando) livros fantásticos com o toque medieval que só a Terra Média poderia nos proporcionar - Sword of Truth. Preparem-se para busca da verdade.


Richard Cypher vivia tranqüilamente na floresta até salvar uma bela desconhecida das garras de seus perseguidores. Ela só consentira em lhe dizer o próprio nome, Kahlan. Apesar disso, o primeiro olhar foi suficiente para ele saber que não conseguiria mais abandoná-la. Até porque o perigo rondava todos os cantos daquela terra, e criaturas monstruosas seguiam cada passo de Kahlan. Só Zedd, o último grande mago, poderia ajudar. E assim foi feito. Richard, entretanto, precisaria levar a lendária Espada da Verdade e enfrentar as tropas de Darken Rahl, o feiticeiro déspota, para finalmente livrar todo o povo de Westland do inferno da degradação. Começa assim, em nome do amor e a qualquer preço, uma incessante busca através das trevas.

Devo confessar que eu apenas tive coragem de comprar o livro pois o seriado baseado na saga é um dos meus favoritos ( de todos os tempos) - Legend of the Seeker. Sim, exatamente, aquele seriado que de vez em quando aparecia nas atualizações do seu site de downloads preferido entre 2008 - 2010. Infelizmente, a produção foi cancelada no final de sua segunda temporada por falta de recursos (qualidade não dá em árvore e normalmente exige rios de dinheiro).



(TERRY GOODKIND)
O criador do seriado é nada mais e nada menos o mesmo  de Xena e Hércules (precisa de mais alguma coisa pra dizer que é um "prazer culpável"?). A paisagem era um dos destaques; gravado na Nova Zelândia, não deixava de extasiar o telespectador. Uma pena que foi cancelado. (O trailer você confere no fim da postagem)


Apenas o primeiro livro foi traduzido já há muito tempo pela editora Rocoo. A saga não vingou nas terras tupiniquins, muito provavelmente pelo seu preço abusivo - 75 reais(!).Hoje, o livro é encontrado pela metade do preço. Convenhamos, este não é um livro universitário pra abusar tanto assim do bolso do consumidor,não é mesmo?


O livro é tão cativante que você  mal vê as suas 600 e poucas páginas passarem. Você toma apreço pela vida dos personagens e se angustia quando estes estão sujeitos a qualquer risco.Mas, é bom se prepararem; Goodkind é um pouco cruel (como qualquer bom autor), ele não tem pena de seus protagonistas.


O livro e a série, como sempre, apresentam seus contrastes. Creio que o livro possui uma maturidade muito maior e alcança um público mais adulto, talvez pelo fato dos produtores do seriado  serem a ABC, emissora aberta, e estúdios Disney.A leitura é intensa e as personagens são carismáticas e de fácil identificação, você pode até pensar que todos sempre existiram antes mesmo das primeira páginas - "Não é possível, estes personagens são muitos bem construídos pra esta ser apenas a primeira aventura deles.".As personalidades bem enraizadas deles se destacam e se constroem tão rapidamente que não é difícil pensar isto.Goodkind se sente confortável ao escrever, por isso a facilidade com a escrita.


“— A primeira regra do mago: as pessoas são tolas. — Richard e Kahlan ficaram mais intrigados ainda. — As pessoas são tolas. Com a motivação adequada, qualquer pessoa acredita em quase tudo. Porque são tolas, acreditam numa mentira porque querem acreditar. Ou porque têm medo de que seja verdade. As cabeças delas estão cheias de conhecimentos, fatos e crenças e a maior parte é falsa, mas elas pensam que é a verdade. As pessoas são tolas, raramente distinguem a diferença entre mentira e verdade, mas pensam que podem distinguir, por isso é mais fácil enganá-las."


Craig Horner como Richard Cypher
É interessante como Richard amadurece em sua jornada, como sua vida simplória e inocente de guia florestal muda drasticamente ao ajudar Kahlan Amnell a fugir de seus algozes. Parece que o autor incutiu um breve ensinamento, uma moral, a cada situação que Richard deve passar, o leitor começa a aprender através dos olhos da personagem.


Bridget Regan como
Kahlan Amnel
Por falar em Kahlan Amnell...bom, na verdade é um pouco perigoso dizer algo sobre ela.O seriado estragou muito do suspense que o livro carrega (por um bom tempo) sobre o quê e quem Kahlan realmente é logo em seu primeiro episódio; não será eu que contará este mistério do livro, mas posso dizer que a personagem é única. Além disso, também é uma personagem simplesmente apaixonante (uma das minhas favoritas de todos os personagens que "coleciono"). O mistério acerca dela e seu forte senso de compromisso tocam aqueles que sabem o que é carregar um grande fardo, uma responsabilidade pesada demais para uma só pessoa. Richard aparece como um aparo para este mundo que ela carrega e a faz enxergar além de sua visão um tanto conservadora demais.


Na realidade, devo dizer que os dois complementam um ao outro. Enquanto Kahlan é sábia em lidar com situações que exijam dela se eximir de emoção; Richard, por sua vez, é muito humilde e inocente a ponto de ser completamente passional em suas atitudes. Faz com que as barreiras que a vida construiu em volta dos sentimentos de Kahlan, aos poucos, tornem-se frágeis e acessíveis.Mostra que agora a jornada e a salvação da Terra Média não recai comente no ombro de Kahlan, e sim no de ambos.


Bruce Spence como Zedd
Vemos também mais uma outra figura que completa o grupo de aventureiros - o velho Zedd, o último mago de primeira ordem que ainda vive. Ele é o responsável pelo treinamento de espírito de Richard, mostra ao rapaz como se tornar um verdadeiro Seeker.O mago é um dos mais intrigantes, a cada nova informação fornecida sobre ele o autor te faz repensar se você realmente conhecia o personagem até aquele momento.


Os três tem como objetivo derrotar o déspota Darken Rahl, que tem espalhado pânico na terra com magia de Midlands.Richard, até então, vivia em Westland, a Terra sem magia. As duas são separadas por um muralha mágica que não permite os dois mundos entrarem em contato; porém, há suas brechas.O vilão supera qualquer mago.É muito mais cruel (e muito mais velhos) do que podemos ver no seriado. Torna-se um grande desafio a Richard, Kahlan e Zedd a busca por sua queda e destruição.


A primeira Regra do Mago não pode ser tonada como uma leitura despretensiosa; diferente disto, ela deve ser lida com vontade por aqueles que amam a descoberta de uma nova mitologia, de uma nova aventura fantástica.


Se você, ainda assim, ficou em dúvida sobre o livro, sugiro que tente primeiramente o seriado. Talvez, assim como eu, você se apaixone pelos personagens ao vê-los em cores antes de senti-los e imaginá-los.



Título: A Primeira Regra do Mago  Autor Terry Goodkind  Editora: Rocco 
Notas: |Enredo: 10/10 | Edição: 7/10Entusiasmo: 10/10|





9 comentários:

  1. Eu amo Legend of the Seeker!
    É um seriado muito bom, mas infelizmente pouco conhecido. E o que eu acho mais interessante é que lá a magia não tem limites (no livro deve ser assim também). Então qualquer coisa pode acontecer.
    Como você disse, o livro é caríssimo e difícil de encontrar. Por isso ainda não tive a oportunidade de lê-lo.
    Ótima resenha!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Faz tempo que estou querendo ler esse livro... Mas ainda tenho uma pilha de livros que já comprei e preciso ler... Mas eu gosto de livros nesse estilo, então assim que tiver a oportunidade irei ler com certeza. :)
    Parabéns pela resenha, foi bem detalhada!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Nunca passei do capitulo 3 ou 4 da serie, ele transforma o livro em algo ridículo, também não posso comentar muito sobre isto pois não ha vi completamente.

    Mas recomendo voce reler o livro na lingua original a tradução da rocco está péssima neste livro metade das piadas foram refeitas e as explicações de Zedd sem comentarios.

    Bem interessante seu ponto de vista dos personagens sobre o livro, vou ver agora com outro ponto de vista a escrita de Goodking.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Nossa...era uma das minhas favoritas! hahaha
      Eu já estou lendo Stone of tears no original (faz quase 2 anos que estou com o livro, indo e voltando, mas ainda assim na luta pra terminá-lo rss). A escrita dele em inglês realmente é muito mais interessante. Lembro que comentei com alguns amigos há algum tempo o quanto preferia lê-lo em inglês, consegue me fazer entrar mais na história.
      Se algum dia eu conseguir completar a saga tentarei ler o primeiro no original.

      Muito obrigado pelo comentário e por ter visitado o blog. Volte sempre! =]
      Beijos

      Excluir
  4. Que sem gracisse é essa de me apresentar uma série que não está completa por aqui??? D:
    É sacanagem! Eu ainda não sou fluente pra comprar tudo em inglês
    Mimimi T_T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline,
      é triste, eu sei. =/
      Creio que nunca veremos os outros livros por aqui. Só se a Rocco liberar os direitos para outra editora (o que é muito difícil de acontecer).
      O jeito é se contentar com as 2 temporadas de Seeker ou achar uma equipe que tenha traduzido os livros pra formato ebook (isso certamente não é difícil! ;])

      Excluir
  5. Oi Lucas.
    Legal o seu blog. Me interessei por esse post por ser essa série uma das minhas favoritas tb.
    Já li o livro e assisti as duas temporadas da série. A série e o livro são completamente diferentes, só os personagens e o objetivo são os mesmos mas gostei de ambas as versões.
    Estou no mesmo problema que vc com o segundo livro, é enorme e sempre acabo parando de ler e tendo que voltar para o inicio. Achei na internet a versão traduzida por fãs dos livros até o numero 5 e pelo que já li em inglês do segundo a tradução está muito boa.Vale a pena dar uma procurada.
    Enfim, parabéns pela resenha.

    www.vidadeleitor.com

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Faz um tempinho desde o post... mas como tenho a série como uma das minhas favoritas e os livros também... não dava pra não comentar... A série tem suas divergências com os livros, mas nem por isso deixa de ser excelente, realmente uma pena ter sido cancelada... quanto aos livros, estou no Fé dos Derrotados (vol 6) e não dá pra parar de ler! é contagiante... perfeito. Uma fantástica Literatura Fantástica!

    ResponderExcluir